Ver perfil

A falácia do Quiet Quiting

Impulso News
A falácia do Quiet Quiting
Por Impulso News • Edição Nº82 • Ver na web
Toda semana, temos uma edição com conteúdos escritos e curados por Sylvestre Mergulhão, Karine Silveira e Rafael Miranda sobre Inovação, Liderança, Transformação Digital e Business Agility. Nesta semana, temos este artigo do nosso CRO, Rafael Miranda. Confira:

Provavelmente você se deparou com uma ou mais pessoas falando sobre o movimento Quiet Quitting, que viralizou nas redes sociais nos últimos dias.
O Quiet Quitting ou Demissão Silenciosa é a “nova tendência” no mundo corporativo, que vem após a Great Resignation, na qual milhões de pessoas pediram demissão dos seus empregos em busca de mais equilíbrio e saúde.
O problema é que muitos artigos que se tornaram virais desenharam uma imagem pejorativa e até agressiva contra profissionais que se identificam com o movimento Quiet Quiting.
E essa imagem tem sido usada por empresas e lideranças tóxicas para reforçar ainda mais sua cultura organizacional ruim, propagando uma mensagem de:
— Excesso de trabalho;
— Gestão baseada no medo;
— Resultados orientados a heróis.
Vida Equilibrada
Profissionais que buscam ter uma vida mais equilibrada não deveriam ter sua imagem desonrada, muito pelo contrário. 
No mundo VUCA de hoje, em que o ambiente empresarial é regido por altas expectativas, pressão constante e concorrentes surgindo de todos os lados, saber ser produtivo continuamente, mantendo um ritmo sustentável de desempenho, é uma habilidade primordial.
O movimento Quiet Quiting apenas reforça isso. 
Empresas que não conseguem trabalhar de maneira inteligente, cortar escopo de forma estratégica e desenvolver bons líderes, naturalmente irão forçar um discurso de:
Vestir a Camisa = Trabalhar Mais Duro
O que é completamente equivocado!
Vestir a camisa é:
— Se importar com o que faz;
— Gerar soluções alinhadas aos valores;
— Buscar o melhor, independente de barreiras.
E, tudo isso, de maneira contínua e sustentável.
Hora de Acordar
Finalizo aqui deixando a imagem acima, que mostra o gap de remuneração de trabalhadores dos últimos 48 anos, que só vem aumentando.
A Great Resignation, o Quiet Quiting, o 4DWW, os Mais Diversidade e todos os próximos movimentos que surgirão são apenas um lembrete de que as pessoas no mundo de hoje não aguentam mais. 
E que empresas e lideranças que não acordarem e implementarem novas formas de trabalho, não sobreviverão.
Até a próxima! 💪
A mudança é algo certo e fugir disso pode ser o caminho para o fracasso
Quantas vezes você se olhou no espelho e se sentiu insuficiente?
The Smell of the Place
A fórmula do sucesso de ontem é muitas vezes o dogma retrógrado de hoje… Devemos desafiar continuamente o passado para nos renovar a cada dia. (tradução livre)
- Sumantra Ghoshal
Curtiu essa edição?
Impulso News

Conteúdos sobre Inovação, Liderança, Transformação Digital e Business Agility, escritos e selecionados especialmente por Sylvestre Mergulhão, Karine Silveira e Rafael Miranda.

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de Impulso News via Revue.
Rua da Glória, 190, Sala 1002, Rio de Janeiro, RJ